Representação em SKOS de um microtesauro de conhecimentos estratégicos nas organizações

Marilia Winkler de Morais, Janailton Lopes Sousa, Rogério Aparecido Sá Ramalho

Resumo


A retórica acerca da necessidade de se explorar ferramentas que contribuam para o crescimento ordenado da Web pelo prisma das transformações que o avanço tecnológico tem causado na sociedade é cada vez mais substancial. Sendo assim, métodos de organização da informação são de expressiva importância para garantir não apenas a recuperação da mesma, mas igualmente promover a transposição das fronteiras culturais e geográficas de acesso à informação. Nesse cenário, ressaltam-se os Sistemas de Organização do Conhecimento (Knowledge Organization Systems) como ferramentas que englobam todos os tipos de esquemas que visam promover a gestão do conhecimento, como esquemas de classificação, cabeçalhos de assunto, tesauros, ontologias, entre outros. Em 2009, a Word Wide Web Consortium apresentou o SKOS – Simple Knowledge Organization System como um modelo que tem se destacado na padronização de recursos informacionais na Web, pois fornece uma maneira de representar os Sistemas de Organização do Conhecimento tradicionais permitindo que eles sejam legíveis por máquinas. Considerando a crescente tendência de elaboração de tesauros para utilização em ambientes digitais, destacamos o Tesauro Brasileiro de Ciência da Informação, publicado em 2014 pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, como instrumento fundamental para recuperar e acessar informações com precisão. Sem dúvidas, sua transposição para a Web representa ainda mais um avanço para a área de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Portanto, o presente trabalho se dedica à avaliação da conversão da categoria “Informação e Conhecimento Estratégicos nas Organizações” do Tesauro Brasileiro de Ciência da Informação em um microtesauro em SKOS. Trata-se de uma pesquisa de cunho teórico e metodológico que se propõe a abordar os temas de representação, organização e disponibilização de vocabulários em ambientes digitais. Caracteriza-se, também, como pesquisa de natureza aplicada e exploratória uma vez que objetiva gerar conhecimentos para aplicação prática. O presente estudo evidenciou que o SKOS se apresenta como uma opção de baixo custo, favorece maior interoperabilidade entre vocabulários a partir da integração de diferentes conjuntos de dados e tem expressiva contribuição para o aperfeiçoamento das tradicionais ferramentas de recuperação da informação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVITE DÍEZ, M. L.; et al. Propuesta de representación del tesauro EuroVoc en SKOS para su integración en sistemas de información jurídica. Scire: Represenación y Organización del Conocimiento, n.16, v.2, p.47-51, 2010.

BAKER, T., BECHHOFER, S., ISAAC, A., MILES, A., SCHREIBER, G. SUMMERS, E. Key choices in the design of Simple Knowledge Organization System (SKOS). Web Semantics: Science, Services and Agents on the World Wide Web, n. 20, p. 35-49, 2013.

BOCCATO, V. R. C., RAMALHO, R. A. S., FUJITA, M. S. L. A contribuição dos tesauros na construção de ontologias como instrumento de organização e recuperação da informação em ambientes digitais. In: GARCIA MARCO, F. J. (Ed.). Avances y perspectivas en sistemas de información y documentación – IBERSID, 2008. Zaragoza: Universidad de Zaragoza, 2008, p. 199-209.

CINTRA, A. M. et al. Para entender as linguagens documentárias. 2 ed. rev. e ampl. São Paulo: Polis, 2002.

CERVANTES, B. M. N., et al. Glossário trilíngue em gestão da informação: subárea inteligência competitiva organizacional. Marília: Fundepe; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. 92 p.

CERVO, A. L. BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Prentice

Hall, 2002.

CURRÁS, E. Tesauros, linguagens terminológicas. Tradução de Antônio Felipe da Costa. Brasília: IBICT, 1955. 286 p.

DAVENPORT, T. H. Ecologia da informação :por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. 5 ed. São Paulo: Futura, 2002.

DODEBEI, V. L. D. Tesauro: linguagem de representação da memória documentária. Niterói: Intertexto; Rio de Janeiro: Interciência, 2002.

FERNEDA, E. Recuperação da informação: análise da contribuição da ciência da computação para a ciência da informação. Tese apresentada à Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo para obtenção de título de Doutor em Ciências da Comunicação. São Paulo, 2003.

HODGE, G. Systems of knowledge organization for digital libraries: beyond traditional authority files. The Digital Library Federation, Washington D.C., 2000.

ISAAC, A.; SUMMERS, E. SKOS Simple Knowledge Organization System Primer. W3C Working Group Note 18 August 2009. Disponível em: . Acesso em: fev. 2018.

KOBASHI, N. Y. Fundamentos semânticos e pragmáticos da construção de instrumentos de representação de informação. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação - v.8 n.6 dez. 2007.

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. Tradução: Antônio Angenor. 2. ed. Brasília, DF: Brinquet de Lemos/Livros, 2004.

LANCASTER, F. W. Vocabulary control for information retrieval. 2. ed. Arlington: Information Resources Press, 1986.

MASTORA, A.; PEPONAKIS, M.; KAPIDAKIS, S. SKOS concepts and natural language concepts: An analysis of latente relationships in KOSs. Journal of Information Science, v. 4, 2017, p. 492 – 508.

MIRANDA, R. O uso da informação na formulação de ações estratégicas pelas empresas. Ciência da Informação, v.28, n.3, p.286-292, 1999.

MILES, A. BECHHOFER, S. SKOS Simple Knowledge Organization System

Reference. W3C: [S,l.], 2009. Disponível em: < https://www.w3.org/TR/skos-reference/ >. Acesso em: 27 maio 2018.

MUSTAFA EL HADI, W. Cultural Interoperability and Knowledge Organization Systems. In: José Augusto Chaves Guimarães; Vera Dodebei. (Org.). Organização do conhecimento e diversidade cultural. 1ed.Marília: ISKO-Brasil ; FUNDEPE, v. 1, p. 575-606, 2015.

PASTOR-SANCHEZ, J. A.; MARTINEZ-MENDEZ, F.J.; RODRIGUEZ-MUNOZ, J.V. Aplicación de SKOS para la interoperabilidad de vocabularios controlados en el entorno de linked open data. El profesional de la información. v.3, 2012, p. 245-253.

PINHEIRO, L. V. R.; FERREZ, H. D. Tesauro Brasileiro de Ciência da Informação. Rio de Janeiro; Brasília: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), 2014. 384 p.

RAMALHO, R. A. S. Análise do modelo de dados SKOS: Sistema de Organização do Conhecimento Simples para web. Informação & Tecnologia (Itec), v. 2, p. 66-79, 2015.

SOUZA, R.; ALVARENGA. A web semântica e suas contribuições para a Ciência da Informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 132- 141, jan./abr. 2004.

SÁNCHEZ-ALONSO, S.; GARCIA-BARRIOCANAL, E. Semantic interoperability between SKOS concept schemes using metadata. Universidade de Alcala: Espanha, [200?].

UNESCO. Guidelines for the establishment and development of monolingual thesauri. [s.n.t]. 37p.

VALENTIM, M. L. P. Inteligência competitiva em organizações: dado, informação e conhecimento. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, v. 4, n .3, p. 1-13, jun. 2003. Disponível em: . Acesso em 01 abr. 2019.

ZENG, M. L.; CHAN, L. M. Trends and issues in establishing interoperability among knowledge organization system. Journal of the American Society for Information Science and Technology; v.55, n.5, p. 377-395, 2004. Disponivel em: . Acesso em: 04 jan. 2019.






Revista Perspectivas em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: 031) 3409-5227 






A revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEER Portal Scielo Capes Periodicos UFMG        Sistema de Bibliotecas UFMG