Entre bibliófilos e bibliodetetives: dinâmicas de objeto e valor, questões de informação

Kelly Castelo Branco da Silva Melo, Leila Beatriz Ribeiro

Resumo


O presente artigo pressupõe que a literatura policial, como gênero literário e modo de registro e expressão de experiências (ficcionais), possibilita a análise/interpretação e representação de determinadas práticas colecionistas e de quadros de referências sócio-históricos. Como um desdobramento de estudos sobre bibliofilia, o artigo toma como campo empírico cinco romances policiais escritos pelo norte-americano John Dunning, e, por meio da leitura analítica desses livros, propõe teórica e metodologicamente identificar e observar as questões informacionais que permeiam/emergem das dinâmicas de valor encontradas nas tramas. O fluxo dos livros enquanto mercadorias e objetos de coleção, e o seu transitar para dentro e para fora da situação mercadológica, resultam da convergência complexa de aspectos sociais, temporais e culturais. Sendo assim, o artigo se volta para os processos de (des)valorização de livros, visando neles elucidar o que é possível depreender do universo bibliófilo, e o que, nesse universo ficcional, constitui e representa práticas informacionais utilizadas por/em um universo colecionista não ficcional.

Palavras-chave


Bibliofilia; Romance policial; Valor; Informação

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Marco Antônio de. Literatura, informação, conhecimento e ciência: considerações a partir da literatura policial. In:

ALMEIDA, Marco Antônio de. Ciência da Informação e literatura. Campinas, SP: Alínea, 2012. p. 91-118.

APPADURAI, Arjun. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural. Niterói: EdUFF, 2008.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAUDRILLARD, Jean. O Sistema dos objetos. 5. ed. 1. reimpr. São Paulo: Perspectiva, 2012.

BAUMAN, Zygmunt. Entrevista exclusiva. Café filosófico: diálogos com Zygmunt Bauman. Leeds, UK: NPEC, 2011. Íntegra da entrevista concedida ao Fronteiras do Pensamento/CPFL, realizada em 23 de julho de 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2014.

BENJAMIN, Walter. O colecionador. In: ______. Passagens. Belo Horizonte: Editora da UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006. p. 237-246.

______. Desempacotando minha biblioteca: um discurso sobre o colecionador. In: ______. Obras escolhidas II: rua de mão única. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. 4. ed. São Paulo: Estação Liberbade: UNESP, 2011.

CLAUDIO, Ivan. Freud e seus talismãs. Isto é, São Paulo, n. 2129, 27 ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2015.

COSTA, Robson Santos; ORRICO, Evelyn Goyannes Dill. A construção de sentido na informação das histórias em quadrinhos. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, abr. 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2014.

COUTINHO, Afrânio. Notas de teoria literária. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

DIAS, Eduardo Wense. O romance policial. In: CAMPELLO, Bernadete Santos; CALDEIRA, Paulo da Terra; MACEDO, Vera Amália Amarante (Orgs.). Formas e expressões do conhecimento: introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: Escola de Biblioteconomia da UFMG, 1998. p. 101-113.

DOHMANN, Marcus. A experiência material: a cultura do objeto. Rio de Janeiro: Rio Books, 2013.

DUNNING. John. Edições perigosas. 2. ed. 1. reimpr. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

______. Impressões e provas. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

______. John Dunning’s biography. In: DUNNING, John. Old Algonquin books. [2014]. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2015.

______. Then and now. In: ______. Booked to die: a mystery introducing Cliff Janeway. Kindle ed. New York: Schreibner, 2000.

______. O último caso da colecionadora de livros. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

ERLL, Astrid. Literature, film and mediataly of cultural memory. In: ERLL, Astrid; NÜNNING, Ansgar (Eds.). A companion to cultural memory studies. Berlim: Nova York: Walter de Gruyter, 2010. p.289-398.

FREITAS, Adriana. Romance policial: origens e experiências contemporâneas. Revista Contracultura, Niterói, n. 01, dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2013.

GORZ, André. O Imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume, 2005.

JEUDY, Henri-Pierre. O objeto rei. In: ___. Memórias do social. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1990. p. 64-74. (Coleção, Ensaio & Teoria).

KOPYTOFF, Igor. A biografia cultural das coisas: a mercantilização como processo. In: APPADURAI, Arjun. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural. Niterói: EdUFF, 2008. p. 89-121.

LUFT, Celso Pedro. Dicionário prático de regência verbal. 9. ed. 3. reimpr. São Paulo: Editora Ática, 2011.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, Angela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora (Orgs.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

MARSHALL, Francisco. Epistemologias históricas do colecionismo. Episteme, Porto Alegre, n. 20, p. 13-23, jan./jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2011.

MELO, Kelly Castelo Branco da Silva. Bibliofilia: um tipo de colecionismo, um caminho de coleção e memória. 2011. 47 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biblioteconomia)–Escola de Biblioteconomia, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

MOLES, Abraham A. Objeto e comunicação. In: MOLES, Abraham A. et al. Semiologia dos objetos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1972.

______. Teoria dos objetos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1981.

MORAES, Rubens Borba de. O bibliófilo aprendiz, ou, Prosa de um velho colecionador para ser lida por quem gosta de livros, mas pode também servir de pequeno guia aos que desejam formar uma coleção de obras raras antigas ou modernas. 4. ed. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2005.

OLIVEIRA, Andréia Machado; SIEGMANN, Christiane; COELHO, Débora. As coleções como duração: o colecionador coleciona quê? Episteme, Porto Alegre, n. 20, p. 111-119, jan./jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2011.

PEARCE, Susan M. On collecting: an investigation into collecting in the European tradition. New York: Routledge, 2013.

______. Museums, objects and collections: a cultural study. Washington, D.C.: Smithsonian Institution Press, 1992.

POMIAN, Krzysztof. Colecção. In: Memória-História. Enciclopédia Einaudi, v. 1. Ed. Portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional: Casa da Moeda, 1984. v. 1, p. 51-86.

______. História cultural, história dos semióforos. In: RIOUX, Jean Pierre; SIRINELLI, Jean-François (Dirs.). Para uma história cultural. Lisboa: Editorial Estampa, 1998.

RIBEIRO, Leila Beatriz. Mais do que posso contar: coleções, imagens e narrativas. In: PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM MEMÓRIA SOCIAL. Processo seletivo discente: cursos mestrado e doutorado: edital n. 12/2015, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2014.

______. Manias, trecos, objetos e coleção: memória, descarte e velhice nas narrativas quadrinísticas de Urbano, o aposentado. In: ENCONTRO REGIONAL DA ANPUH-RIO, 19., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: NUMEN, 2010. Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2011.

TODOROV, Tzvetan. A origem dos gêneros. In: TODOROV, Tzvetan. Os gêneros do discurso. São Paulo: Martins Fontes, 1980.






Revista Perspectivas em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: 031) 3409-5227 






A revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEER Portal Scielo Capes Periodicos UFMG        Sistema de Bibliotecas UFMG