Formalização de serviços internos em grandes corporações: Proposta de ontologia para construção colaborativa de Carta de Serviços

Maurício Telles Bígio, Remis Balaniuk, Ana Paula Bernardi da Silva, Vitória Santiago da Silveira

Resumo


As instituições que criam novos conhecimentos de forma sustentável e os disseminam por toda a organização possuem capacidade de inovar, melhorando seus processos e contornando crises. Os serviços internos quando não geridos adequadamente podem gerar gargalos que afetam o desempenho institucional como um todo. Esses reflexos podem ser sentidos tanto nas organizações privadas quanto públicas, mas nessas últimas acabam prejudicando a entrega dos serviços e políticas públicas ao cidadão. Assim, a presente pesquisa buscou contribuir com a melhoria da eficiência e da eficácia na administração pública, ao analisar a questão dos serviços internos sob uma ótica formal e estruturante baseada em ontologias e Cartas de Serviços. Utilizou-se como foco de pesquisa um grande banco público, representativo da administração indireta. Dentre os resultados houve satisfatória utilização da metodologia proposta, criação de uma ontologia para o contexto pretendido (OntoCSI), criação de uma aplicação wiki e avaliação desta interface junto às partes interessadas.

Palavras-chave


Ontologia; Arquitetura da Informação; Gestão do Conhecimento; MAIA.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMAHAMID, S.; MCADAMS, A. C. The Relationships among organizational knowledge sharing practices, employees’ learning commitments, employees’ adaptability, and employees’ job satisfaction: an empirical investigation of the listed manufacturing companies in Jordan. Interdisciplinary Journal of Information, Knowledge, and Management, [S.l], v. 5, p. 327-356, 2010.

AL-ALAWI, A. I.; AL-MARZOOQI, N. Y.; MOHAMMED, Y. F. Organizational culture and knowledge sharing: critical success factors. Journal of knowledge management, [S.l], v. 11, n. 2, p. 22-42, 2007.

ANDRADE, I. A. de; JUNIOR, D. W. B.; TOMAÉL, M. I.; CORGOSINHO R. J. M. Inteligência coletiva e ferramentas web 2.0: a busca da gestão da informação e do conhecimento em organizações.Perspectivas em Gestão & Conhecimento, [S.l], v. 1, p. 27-43, 2011.

BATISTA, F. F. Gestão do Conhecimento na Administração Pública: O que mudou no período 2004-2014. Brasília: IPEA, 2014.

BATISTA, F. F. Modelo de gestão do conhecimento para a administração pública brasileira: como implementar a gestão do conhecimento para produzir resultados em benefício do cidadão. Brasília: IPEA, 2012.

BEIRA, S. de C. P. Ontologia como um Artefato da Arquitetura da Informação para a Representação do Conhecimento. Dissertação(Mestrado em Gestão do Conhecimento da Tecnologia da Informação) – Universidade Católica, Brasília, 2015.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.Carta deServiços ao Cidadão. SEGES:Brasília, 2008.

BRASIL. Lei nº 6.932, de 11 de agosto de 2009. Dispõe sobre a simplificação do atendimento público prestado ao cidadão, ratifica a dispensa do reconhecimento de firma em documentos produzidos no Brasil, institui a “Carta de Serviços ao Cidadão” e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 23 ago. 2009.

BROOKING, A. Corporate memory: Strategies for knowledge management.International Thomson Business Press, Londres, 1999.

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. Relatório da administração: 1º trimestre de 2012.

Brasil, 2012.

CAMPI, M. E. Análise de qualidade e desempenho em relação a processos internos: o caso do departamento de materiais indiretos do setor de suprimentos de uma empresa de tecnologia avançada. Dissertação (Mestrado profissional em Administração) – Faculdade de gestão e negócios, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2012.

COSTA, I. de M. Um método para arquitetura da informação: fenomenologia como base para o desenvolvimento de arquiteturas da informação aplicadas. Dissertação (Mestrado em Ciência da informação) - Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, Dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 19 Jun. 2014.

COUTINHO, R. L. F.Instrumentos de participação cidadã na câmara dos deputados. E-Legis-Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação da Câmara dos Deputados, [S.l], v. 13, n. 13, p. 21-42, 2014.

DAGHFOUS, A.; BELKHODJA, O.; ANGELL, L. C. Understanding and managing knowledge loss. Journal of Knowledge Management, v. 17, n. 5, p. 639-660, 2013.

DAVENPORT, E.; CRONIN, B. Knowledge management: Semantic drift or conceptual shift? Journal of Education for Library and Information Science, [S.l], v. 41 n. 4, p. 294-306, 2000.

EIRIZ, V.; SIMÕES, J.; GONÇALVES, M. Obstáculos à gestão do conhecimento nas escolas de gestão e economia do ensino superior público emPortugal. Comportamento organizacional e gestão, [S.l], v. 13, n. 2, p. 153-167, 2007.

FOX, M. S.; BARBUCEANU, M.; GRUNNINGER, M.; LIN, J. An Organization Ontology for Enterprise Modelling. Menlo Park CA: AAAI. 1997.

GIANESI, I; CORRÊA, H. L. Administração estratégica de serviços: operações para a satisfação do cliente. São Paulo: Atlas, 1996.

GORDON, J; LOWE, B. Employee Retention: Approaches for Achieving Performance Objectives. Journal of American Academy of Business, Cambridge: v. 1, n. 2, p. 201-205, Mar. 2002.

GUIZZARDI G.; FALBO, R. A.;GUIZZARDI, R. S. S. Grounding software domain ontologies in the Unified Foundational Ontology (UFO): the case of the ODE software process ontology. In:Proceedings of the XI Iberoamerican Workshop on Requirements Engineering and Software Environments, p. 244–251, 2008.

HOEHNDORF, R.; BACHER, J.; BACHHAUS, M.; GREGORIO, S. E.; LOEBE, F.; PRÜFER, K.; UCITELI, A.; VISAGIE, J.; HERRE, H.; KELSE, J. BOWiki: Um wiki baseado em ontologias para anotação dos dados e integração de conhecimentos em biologia.BMC Bioinformatics, Leipzig, Alemanha, v. 10, n. 5, 2009.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. The Strategy-Focused Organization. Boston: Harvard Business School Press, 2001.

LOPES, A.; NÓBREGA, I.; PACHECO, K.Um guia de serviços do Governo Federal baseado em ontologias. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Sistemas de Informação) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2014.

MADSEN, T. L.; MOSAKOWSKI, E.; ZAHEER, S. The dynamics of knowledge flows: human capital mobility, knowledge retention and change. Journal of Knowledge Management, [S.l], v. 6, n. 2, p. 164-176, 2002.

MANDAJI, M. O processo de colaboração nos trabalhos de coautoria em ambientes virtuais de aprendizagem. Revista Brasileira de Informática na Educação, [S.l], v. 20, n. 1, p. 50, 2012.

MENDONCA, F. M.; CARDOSO, A. M. P.; DRUMOND, E. Ontologia de aplicação no domínio de mortalidade: uma ferramenta de apoio para o preenchimento da declaração de óbitos. Ciência da Informação, Brasília, v. 39, n. 3, Dez. 2010.

MORESI, E. A. D.; RAMOS, R. G. C.; PRADO, H. A. do. Mapeamento de informações organizacionais: um estudo na Embrapa. Transinformação, [S.l], v. 22, n. 2, p. 101-110, 2010.

NARDI, J. C.; FALBO, R. de A.; ALMEIDA, J. P. A.; GUIZZARD, G.; PIRES, L. F.; SINDEREN, M. J.; GUARINO, N. Rumo a uma economia baseada no compromisso de Referência Ontologia para Serviços. Information Systems, [S.l], v. 54, 2015.

NOY, N. F.; MCGUINNESS, D. L. Ontology Development 101: A guide to creating your first ontology.[S.l], 2000.Disponível em: . Acesso em: 23 Jan.2015.

PERROTT, B. E., A strategic risk approach to knowledge management, Business Horizons, [S.l], v. 50 n. 6, p. 523-533, 2007.

SÉRGIO, M. C.; DA SILVA, T. do N.; GONÇALVES, A. L. Representação do Domínio de Conhecimento Acadêmico e uma Teoria de Representação: a Ontologia de Fundamentação Unificada. International Journal of Knowledge Engineering and Management (IJKEM), [S.l], v. 5, n. 11, p. 51-69, 2016.

SIQUEIRA, A. H. Arquitetura da Informação: Uma proposta para fundamentação e caracterização da disciplina científica. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, Ago. 2012.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da produção. 2a ed. São Paulo: Atlas, 2009.

STACHEIRA, C. R. Intersetorialidade em políticas públicas de enfrentamento à violência contra a criança e o adolescente: proposta de um modelo de formalização do conhecimento na forma de ontologia. Dissertação (Mestrado profissional em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2014.






Revista Perspectiva em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: 031) 3409-5227 






A revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEER Portal Scielo Capes Periodicos UFMG        Sistema de Bibliotecas UFMG