Narrativa como gesto bibliográfico: Gabriel Naudé entre erudição e política

Giulia Crippa

Resumo


O artigo propõe a contextualização de Gabriel Naudé como bibliotecário e pensador em um tempo, o século do desenvolvimento absolutista na França, e em um ambiente, o da libertinagem erudita francesa e das bibliotecas em fase de modernização. Consideramos que uma revisão dentro da condição sócio histórica das atividades de Naudé como bibliotecário e intelectual podem auxiliar em uma maior compreensão de sua produção bibliográfica. Para tanto, realizamos uma releitura historicamente contextualizada do tratado Advis pour dresser une bibliothèque, de 1627 e de sua Bibliographie Politique, obra de 1633, caracterizada por inaugurar o termo bibliografia e, ao mesmo tempo, por representar uma tipologia específica de bibliografia, a chamada história literária. O percurso considerou a leitura das fontes como ponto de partida para o entendimento dos textos, apoiada na literatura crítica.

Texto completo:

PDF




Revista Perspectivas em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: 031) 3409-5227 






A revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEER Portal Scielo Capes Periodicos UFMG        Sistema de Bibliotecas UFMG