Gestão do conhecimento como fonte de vantagem competitiva em uma paraestatal mineira

Caissa Veloso e Sousa, Fabrício Silva Prata, Jefferson Rodrigues Pereira

Resumo


O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo identificar e analisar os principais fatores que exercem influência no processo de gestão do conhecimento em uma instituição paraestatal de ensino profissionalizante localizada no estado de Minas Gerais. Para tal foi desenvolvida uma pesquisa descritiva, à luz de uma abordagem quantitativa, baseada em um estudo de caso, cuja amostra foi composta por 1.413 funcionários da instituição objeto de estudo. Em um ambiente de análise foi desenvolvido um modelo fatorial composto pelos construtos ‘estratégia e comunicação’, ‘políticas e práticas de gestão de pessoas’ e ‘processos de trabalho’, cuja explicação total do fenômeno em questão foi de 70,344%. Dentre os principais resultados alcançados destaca-se a importância da gestão do conhecimento no processo de planejamento estratégico organizacional. Nesse mesmo sentido, faz-se importante compreender a relação que se estrutura entre estratégia organizacional, políticas e práticas de gestão de pessoas e processos de trabalho como uma variável relevante para uma gestão do conhecimento eficiente, eficaz e efetiva. Em termos agregados, a compreensão, aplicabilidade e gestão da tríade aqui discutida permitem que a empresa se torne mais competitiva e adaptável frente às constantes mudanças do mercado em que atua.

Palavras-chave


Gestão do Conhecimento; Estratégia; Competitividade; Processos de Trabalho; Paraestatal; Ensino Profissionalizante.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDALÉCIO, A. M. L. Informação, conhecimento e transdisciplinaridade: mudanças na ciência, na universidade e na comunicação científica. 2009. 277f. Tese de Doutorado em Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

ANGELIS, C. T. Gestão do Conhecimento no setor público: um estudo de caso por meio do método OKA. Revista do Serviço Público, v. 62, n. 2, p. 137-166, 2014.

ARGYRIS, C.; SCHÖN, D. A. Organizational learning: A theory of action perspective. Reading, MA: Addison-Wesley, 1978.

BARNEY, J. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of management, v.17, n.1, p.99-120, 1991.

BARRADAS, J. S.; CAMPOS FILHO, L. A. N. Levantamento de Tendências em Gestão do Conhecimento no Brasil. Perspectivas em Ciência da Informação, v.15, n.3, p.131-154, 2010.

BARROSO, A. C. O.; GOMES, E. B. P. Tentando entender a gestão do conhecimento. Revista de Administração Pública, v.33, n.2, p.147-170, 1999.

BRAUN, C. C.; MUELLER, R. R. A gestão do conhecimento na administração pública municipal em Curitiba com a aplicação do método OKA Organizational Knowledge Assessment. Revista de Administração Pública, v. 48, n. 4, p. 983-1006, 2014.

BROWN, T. A. Confirmatory factor analysis for applied research. New York: The Guilford Press, 2006.

CARBONE, P. P. et al. Gestão do capital Intelectual: a mensuração de ativos intangíveis. In: CARBONE, Pedro Paulo et al. Gestão por competências e gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: FGV, 2005. Cap. 3, p. 101-148.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento – uma visão holística de como as organizações usam a informação. In: CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003.

CHOU, C. M.. A framework for aligning strategic positioning and knowledge management system. Information Technology Journal, v. 10, n. 8, p. 1954-1600, 2011.

COAKES, E.; BRADBURN, A.; SUGDEN, G. Managing and leveraging knowledge for organisational advantage. Knowledge Management Research & Practice, v.2, n.2, p.118-128, 2004.

DAVENPORT, T. H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998.

DENZIN, N.; LINCOLN, Y. O planejamento da pesquisa qualitativa. 2006.

DI PIETRO, M. S. Z. Direito Administrativo. 13 ed. São Paulo: Atlas, 2001.

DRUCKER, P. F. Desafios gerenciais para o século XXI. São Paulo: Pioneira, 1999.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FLEURY, M. T. L.; OLIVEIRA Jr, M. D. M. Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas, 2001.

FONSECA. H. G.; MELO, M. C. O. L. A gestão do conhecimento na percepção de gerentes intermediários de uma empresa de energia elétrica: estudo de caso. In: Encontro de gestão de pessoas e relações de trabalho, 5, Salvador. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD 2015.

FRANCINI, W. S. A gestão do conhecimento: conectando estratégia e valor para a empresa. RAE-eletrônica, v. 1, n. 2, p. 1-16, 2002.

FREIRE, P. S. et al. Memória organizacional e seu papel na gestão do conhecimento. Revista de Ciências da Administração, v. 14, n. 33, p. 41-51, 2012.

GOULART, E.; ANGELONI, M. T. O compartilhamento do conhecimento em uma instituição de ensino superior. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Administração, Ed. Especial, Cristalina, v. 1, n. 2, p. 59-83, 2009.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HANSEN, M. T.; NOHRIA, N.; TIERNEY, T. What’s your strategy for managing knowledge. Harvard Business Review, v.77, n.2, p.106-121, 1999.

HENRY, N. L. Knowledge management: a new concern for public administration. Public Administration Review, Washington, v.34, n.3, p. 189-196, 1974.

JOIA, L. A.; OLIVEIRA, M. F. B. Personalização ou codificação? Avaliando estratégias de foco em gestão do conhecimento. Organizações & Sociedade, v. 14, n. 43, p. 13-36, 2007.

KUNIYOSHI, M. S. et al. Institucionalização do knowledge based view: um estudo das práticas gerenciais de gestão do conhecimento e suas contribuições para a competitividade das empresas do setor elétrico-eletrônico. Revista de Administração da Unimep, v. 11, n. 2, p. 1-30, 2013.

LEONARD-BARTON, D. Nascentes do saber: criando e sustentando as fontes de inovação. Rio de Janeiro: FGV, 1998.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Bookman Editora, 2012.

MESQUITA, J. M.C. Estatística multivariada aplicada à administração: guia prático para utilização do SPSS. Curitiba: CRV, 2010.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação do conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

NONAKA, I.; VON KROGH, G. Perspective-tacit knowledge and knowledge conversion: controversy and advancement in organizational knowledge creation theory. Organization science, v.20, n.3, p.635-652, 2009.

OLIVEIRA, L. C. A. et al. A tecnologia da informação como instrumento do posicionamento estratégico. In: Encontro da associação nacional de pós-graduação e pesquisa em administração, 25, Campinas. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD 2001.

OLIVEIRA, L. H. Gestão do Conhecimento como fonte de vantagem competitiva sustentável para as instituições de ensino superior (IES). Revista Acadêmica da FACECA – RAF, v.1, n.2, 2002.

PARSONS, G. L. Information technology: a new competitive weapon. Sloan Management Review, v. 1, n. 25, p. 3-14, 1983.

PEREIRA, J. R. et al. A gestão do conhecimento em uma instituição de ensino privada. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 6, n. 2, p. 113-133, 2016.

PONCHIROLLI, O.; FIALHO, F. A. P. Gestão estratégica do conhecimento como parte da estratégia empresarial. Revista FAE, v. 8, n. 1, p. 127-138, 2005.

PORTER, M. E.; MILLAR, V. E. How information gives you competitive advantage. 1985. Harvard Business Review. v. 63. n. 4, p. 147-152, 1985.

QUINN, J. B. The intelligent enterprise a new paradigm. The Executive, v.6, n.4, p.48-63, 1992.

ROSSATTO, M. A. Gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2003.

ROSSETTI, A. G. et al. A organização baseada no conhecimento: novas estruturas, estratégias e redes de relacionamento. Ciência da Informação, v.37, n.1, p. 61-72, 2008.

SÁ, F. B. et al. Práticas de gestão do conhecimento: um estudo em organizações mineiras. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 3, n. 1, p. 114-131, 2013.

SANTOS, A. R. et al. (Orgs.). Gestão do conhecimento: uma experiência para o sucesso empresarial. Curitiba: Champagnat, 2001.

SANTOS NETTO, J. P. Gestão do conhecimento e competitividade. In: SANTOS, Silvio A. dos; PASQUALE, P. P. (Org.). Fronteiras da administração I. Teorias, aplicações e tendências. Campinas: Akademika, 2004. Cap. 3, p. 49-65.

SANTOS, C. D.; VALENTIM, M. L. P. Gestão de fluxos de informação em ambiente organizacional. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 4, n. 2, p. 19-33, 2014.

SCHARF, E. R. Gestão do conhecimento aplicada ao Marketing. Florianopolis: Visual Books, 2007.

SCHARF, E. R.; SORIANO-SIERRA, E. J. Knowledge management and the perceived value: a sustainable competitive strategy for the knowledge era. Journal of Information Systems and Technology Management, v.5, n.1, 2008.

SENGE, P. M. Taking personal change seriously: The impact of" organizational learning" on management practice. The Academy of Management Executive, v.17, n.2, p.47-50, 2003.

SILVA, S. L. Informação e competitividade: a contextualização da gestão do conhecimento nos processos organizacionais. Ciência da Informação, v.31, n.2, p. 142-151, 2002.

STEWART, T. A. Capital intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

SVEIBY, K. E. The new organizational wealth: managing & measuring knowledge-based assets. Berrett-Koehler Publishers, 1997.

TAPSCOTT, D. Economia digital. São Paulo: Makron Books, 1997.

TERENCE, A. C. F.; ESCRIVÃO FILHO, E. Abordagem quantitativa, qualitativa e a utilização da pesquisa-ação nos estudos organizacionais. Encontro Nacional de Engenharia de Produção, v. 26, 2006.

TERRA, J. C. C. Gestão do Conhecimento: o grande desafio empresarial; inclui o modelo das sete dimensões da gestão do conhecimento. 5ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.






Revista Perspectivas em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: 031) 3409-5227 






A revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEER Portal Scielo Capes Periodicos UFMG        Sistema de Bibliotecas UFMG