A produção científica sobre Língua Brasileira de Sinais (Libras) presente nos currículos Lattes do CNPq

Simone Aparecida dos Santos, Marlene Oliveira

Resumo


Análise da produção de artigos científicos sobre o tema Língua Brasileira de Sinais (Libras) no período de 1987 a 2014. A escolha do período ocorreu em função da comparação entre a produção de artigos sobre o tema antes e depois da promulgação da lei nº 10.436/2002, que reconheceu a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como meio de comunicação dos surdos. A metodologia adotada foi de cunho quantitativo, com a adoção de técnicas bibliométricas para medir a produção em Libras. A pesquisa teve como corpus de investigação a citada produção científica declarada pelos pesquisadores em seus respectivos currículos disponibilizados na Plataforma Lattes. Foram identificados 102 autores e 241 artigos de periódicos. Verificou-se um aumento de títulos de doutores após a promulgação da Lei de Libras. A produção de 241 artigos de periódicos foram produzidos por 102 autores. Os títulos de periódicos que mais publicaram artigos sobre Libras estão ligados à instituição especializada como o Instituto Nacional de Educação de Surdos(INES), Linguística, Estudos Linguísticos e Educação. Mesmo em uma temática com pouco tempo de existência constatou-se significativo crescimento na publicação de artigos sobre o tema, cerca de 417%, após a promulgação da lei de Libras. Portanto, conclui-se que ocorreu um reflexo positivo para o desenvolvimento da área depois da promulgação da lei de Libras.

Palavras-chave


Técnicas bibliométricas; Língua Brasileira de Sinais (Libras); medição de informação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, E. C. E. de. A evolução da produção científica nacional os artigos de revisão e o papel do Portal de Periódicos da CAPES. 2013. 137 f. Tese (doutorado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde, Porto Alegre, 2013.

ALVARADO, R. U. A bibliometria no Brasil. Ciência da Informação, Brasília, v. 13, n. 2, p. 91-105, jul./dez. 1984.

BARATA, G. F. Nature e Science: mudança na comunicação da ciência e a contribuição da ciência brasileira (1936-2009). 2010. Tese (Doutorado em História Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, University of São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2015.

BARRETO, A. de A. Mudança estrutural no fluxo do conhecimento: a comunicação eletrônica. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2, p. 122-127, maio/ago. 1998.

BRAGA, K. S. Aspectos relevantes para a seleção de metodologia adequada à pesquisa social em Ciência da Informação. In: MUELLER, S. P. (Org.). Métodos para pesquisa em Ciência da Informação. Brasília, DF: Thesaurus, 2007. p.17-38.

CAPES. Classificação da produção Intelectual. CAPES, 2014. Disponível em:. Acesso em: 23 mar. 2015.

CAPES. História e missão. Disponível em:. Acesso em: 23 mar. 2015.

CAPOVILLA, F. C.; TEMOTEO, J. G. A importância do novo Deit-Libras para a educação bilíngue da criança surda. In: ANDREIS-WITKOSKI, S. ; FILIETAZ, R. P. (Orgs.) Educação de surdos em debate. Curitiba, Ed. UTFPR, 2014. p. 103-128.

CARDOSO, K. G.; LIMA, M. H. T. de. Produção científica sobre surdos na ciência da informação no Brasil: análise na base BRAPCI. (Poster). In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB), Florianópolis, 15, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ENANCIB, 2013. Disponível em Acesso em: 13 mar. 2015.

CASTRO, J. V. R. de. Análise da produção científica dos pesquisadores em Ciência da Informação nos periódicos Brasileiros. 2009. 128 f. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação. Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais. 2009.

COSTA, T. et al. A Bibliometria e a Avaliação da Produção Científica: indicadores e ferramentas. Actas do Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, Lisboa, n. 11, 2012. Disponível em:.

Acesso em: 24 mar. 2015.

FALCÃO, L. A. B. Aprendendo a Libras e reconhecendo as diferenças: um olhar reflexivo sobre a inclusão: estabelecendo novos diálogos. 2. ed. rev. e ampl. Recife: Ed. do Autor, 2007. 340 p.

FILIETAZ, M. R. P. A idiossincrasia profissional instituída para a educação bilíngue. In: ANDREIS-WITKOSKI, S. ; FILIETAZ, R. P. (Orgs.) Educação de surdos em debate. Curitiba, Ed. UTFPR, 2014. p. 147-160.

GARCIA, L. M. A deficiência na acessibilidade e desenvolvimento do surdo na universidade. 2002. 128 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

GUEDES, V. L, da. S. A bibliometria e a gestão da informação e do Conhecimento científico e tecnológico: uma revisão da literatura. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n.2 , p. 74-109 ago. 2012

INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS (INES). [Site]. Produtos e serviços oferecidos pelo Instituto Nacional de Educação de Surdos. Disponível em: . Acesso em 13 jul. 2015.

KIMURA, Edna T. ABE & M e fator de impacto. Arq Bras Endocrinol Metab. São Paulo , v. 52, n. 6, p. 925-926, ago. 2008 (Editorial).

LEITE, T. de A. O ensino de segunda língua com foco no professor: história oral de professores surdos de língua de sinais brasileira. 2004. 250 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

MARQUES, F. Os limites do índice-h: supervalorização do indicador que combina quantidade e qualidade da produção científica gera controvérsia. São Paulo, Revista Pesquisa FAPESP, n.207, p. 35 -39, maio, 2013.

MENDES, V. L. Artigo 25: Saúde. In: DIAS et al. Novos comentários à Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. 3.ed. rev., e atual. Brasília, SNPD-SDH-PR, 2014. p. 165-171.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: HICITEC, 2010. 407 p.

MUGNAINI, R. EFRAIN-GARCIA, P. Influências metodológicas na mensuração de impacto: o caso das Memórias do Instituto Oswaldo Cruz e sua "qualificação". Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 179-189, set./dez. 2009.

NOGUEIRA, C. M. I.; ZANQUETTA, M. E. M. T. Surdez, bilingüismo e o ensino tradicional de Matemática: uma avaliação piagetiana. ZETETIKÉ: Revista de Educação Matemática, Campinas, v. 16 – n. 30 – jul./dez. – 2008, p. 224.

Pozzatti, V. R. de O. et al. Mundaneum: o trabalho visionário de Paul Otlet e Henri La Fontaine. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 202-209.

RAVELLI, A. P. X. et al. A produção do conhecimento em enfermagem e envelhecimento: estudo bibliométrico. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 18, n. 3, p. 506-512, set. 2009.

SANTOS, R. N. M. dos. Produção científica: por que medir? O que medir? Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 1, n. 1, p. 22-38, jul./dez., 2003. Disponível em: . Acesso em 22 Set. 2013.

SANTANA, A. P.; BERGAMO, A. Cultura e identidade surdas: encruzilhada de lutas sociais e teóricas. Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 91, p. 565-582, ago. 2005.

SKLIAR, C. (Org.). A surdez: um olhar sobre as diferenças. 3. ed. Porto Alegre: Mediação, 2005. 192 p.

TAQUE-SUTCLIFFE, Jean. An Intruction to Informetrics. Information Proceessing and Management. v.28, n.1 jan. 1992.

VANTI, N. A. P. Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Brasília, Ci. Inf. Brasília, v.31, n.2, p. 152-162, maio/ago. 2002.

ZIMAN, J. Conhecimento público. Tradução de Regina Regis Junqueira. São Paulo: USP, 1979. 264 p.






Revista Perspectiva em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: 031) 3409-5227 






A revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEER Portal Scielo Capes Periodicos UFMG        Sistema de Bibliotecas UFMG