As instituições, produtores e produtos científicos do campo da moda no Brasil

Orestes Trevisol Neto, Ligia Maria Arruda Café, Edna Lucia da Silva

Resumo


O interesse desta pesquisa está voltado para a análise da institucionalização científica no campo da Moda concentrando-se nos agentes, locais e processos de produção e comunicação científica. Os pressupostos que mobilizam o desenvolvimento desta pesquisa estão alicerçados na crença que os agentes, as instituições produtoras e a própria produção científica são responsáveis pela consistência científica do campo e pelo seu nível de institucionalização. A pesquisa teve como objetivo geral analisar a institucionalização científica do campo da Moda no Brasil. Possui caráter descritivo e exploratório, faz uma abordagem quali-quantitativa (mista) e utiliza técnica de pesquisa documental. O corpus da pesquisa foi constituído pelos dados retirados dos grupos de pesquisa em moda cadastrados no Diretório de Grupos de Pesquisa, dos Currículos Lattes dos pesquisadores, dos sites dos programas de pós-graduação, eventos e revistas científicas e demais documentos usados como fontes para coleta de dados. A cobertura temporal compreendeu os anos de 1988 a 2013. Na vertente da institucionalização social foram analisados os cursos de graduação e pós-graduação, as revistas, a associação de pesquisa, os eventos e os grupos de pesquisa desse campo. A importância da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisa em Moda (ABEPEM) no processo de institucionalização social do campo ficou destacada. Na vertente da institucionalização cognitiva foram analisados os pesquisadores e a produção científica do campo. Nesse aspecto, foi possível detectar a existência de uma comunidade científica pequena e foi percebida a importância dada pelos integrantes dessa comunidade para a publicação de trabalhos em eventos, o que permite estabelecer uma relação direta entre institucionalização social e cognitiva nesse campo e a importância da comunicação científica no processo de institucionalização. Os resultados apontam indícios de institucionalização embrionária cognitiva e social do campo da moda no Brasil.

Palavras-chave


Institucionalização científica. Moda. Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


ABEPEM. Regulamento geral do Colóquio de Moda 2012/2013. Disponível em: . Acesso em: 30 dez. 2014.

______. Sobre o Fórum das Escolas de moda. Disponível em: . Acesso em: 30 dez. 2014.

______. Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Consumo. Disponível em:

option=com_content&view=article&id=34&Itemid=62>. Acesso em: 30 dez. 2014.

______. Seminário de Figurino. Disponível: em: . Acesso em: 30 dez. 2014.

ARAÚJO, C. A. Á. Correntes teóricas da ciência da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 38, n. 3, p. 192-204, set./dez. 2009.

BONADIO, M. C. A produção acadêmica sobre moda na pós-graduação stricto sensu no Brasil.

IARA: revista de moda, cultura e arte, São Paulo, v.3 n. 3, p. 54-146, dez. 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Sistema E-mec. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

BUENO, M. L. Editorial. IARA: revista de moda, cultura e arte, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 1, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2014.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

CAPES. Cursos recomendados e reconhecidos. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2013.

______. Classificação da produção intelectual: qualis-periódicos. Disponível em: < http://www.capes.gov.br/avaliacao/instrumentos-de-apoio/classificacao-da-producao-intelectual>. Acesso em: 10 dez. 2014

CAPES. Ficha de avaliação do Programa Têxtil e Moda 2013. Disponível em:

VisualizadorServlet?nome=33002010/045/2013_045_33002010220P0_Ficha.pdf&aplicacao=avaliacaotrienal&idEtapa=2&ano=2013&tipo=divulga>. Acesso em: 5 jan. 2015.

CAPES. Documento da Área Interdisciplinar 2013. Disponível em: . Acesso em: 5 jan. 2015.

COLÓQUIO DE MODA, 11, 2015, Curitiba. Anais eletrônicos... Curitiba: ABEPEM, 2015. Disponível em: . Acesso em: 1 jan. 2015.

CONGRESSO INTERNACIONAL DE MODA E DESIGN, 2., 2014, Milão. Anais eletrônicos... Milão: Politécnico di Milano, 2014. Disponível em:

/cimode2014a/>. Acesso em: 1 jan. 2015.

CONGRESSO CIENTÍFICO TÊXTIL E DE MODA, 2., 2014, SÃO PAULO. Anais eletrônicos... São Paulo: SENAI, 2014. Disponível em: . Acesso em: 1 jan. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE PESQUISA. Sobre a plataforma Lattes. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2013.

CONSELHO NACIONAL DE PESQUISA. Diretório dos grupos de pesquisa no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2014.

DOBRAS. São Paulo: Estação da Letras e Cores, 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2014.

ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISAS EM MODA, 4., 2014, Florianópolis. Anais eletrônicos... Florianópolis: UDESC, 2014. Disponível em: < http://www.ceart.udesc.br/enpmoda/>. Acesso em: 1 jan. 2015.

FREITAS, M. H. Considerações acerca dos primeiros periódicos científicos brasileiros. Ciência da Informação, Brasília, v. 35, n. 3, p. 54-66, set./dez. 2006.

IARA: Revista de Moda, Cultura e Arte. São Paulo: Senac, 2014. Disponível em:

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 2009.

MARINHO, M. G. S. M. C. Moda: condicionantes sociais de sua institucionalização acadêmica em São Paulo. In: WAJNMAN, S.; ALMEIDA, A. J. de. (Org.). Moda, comunicação e cultura: um olhar acadêmico. São Paulo: Arte e Ciência/Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Moda (NIDEM)/FAPESP, 2002. p. 13-26.

MEADOWS, A. J. A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999.

MERTON, R. K. Ensaios de sociologia da ciência. São Paulo: Editora 34, 2013.

MODAPALAVRA E-PERIÓDICO. Florianópolis: UDESC/CEART, 2014. Disponível em:

modapalavra>. Acesso em: 30 nov. 2014.

MUELLER, S. P. M. Literatura científica, comunicação científica In: TOUTAIN, L. M. B. B. (Org.). Para entender a Ciência da Informação. Salvador: EDFBA, 2007. p.125-144.

PIRES, D. B. A história dos cursos de design de moda no Brasil. Nexos, São Paulo, v. 6, n. 9, p. 1-13, 2002.

PIRES, D. B. Design moda e design moda: linha do tempo do ensino no Brasil. Iara: revista de moda, cultura e arte, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 190-203, mai. 2012.

PRÍNCIPE, E. Comunicação científica e redes sociais. IN: SARITA, A.(Org). Fronteiras da Ciência da Informação. Brasília: IBICT, 2013. p. 196-216.

SANT’ANNA, M. R.. Editorial. Modapalavra E-periódico, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 1, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2014.

STUMPF, I. R. C. Passado e futuro das revistas científicas. Ciência da Informação, Brasília, v. 25, n. 3, p. 383-386, set./dez. 1996.

WHITLEY, R. Cognitive and social institucionalization of scientific specialities and research. In: WHITLEY, Richard (Ed.). Social process of scientific development.London: RoutledgeandKegan, 1974. p. 69-95.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Mestrado Acadêmico em Têxtil e Moda. São Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2014.

ZIMAN, J. M. Conhecimento público. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Ed. Univ. S. Paulo, 1979.






Revista Perspectivas em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: 031) 3409-5227 






A revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEER Portal Scielo Capes Periodicos UFMG        Sistema de Bibliotecas UFMG