Políticas de preservação digital para documentos arquivísticos

Henrique Machado dos Santos, Daniel Flores

Resumo


Este artigo realiza uma reflexão abrangente sobre as políticas de preservação digital para documentos arquivísticos, com ênfase na manutenção da fidedignidade e na garantia de acesso em longo prazo. Desta forma, são perpassados os seguintes aspectos: a evolução das tecnologias da informação; o advento do documento digital; o uso de padrões abertos; o uso de metadados; os custos relacionados; a segurança; e o planejamento da preservação em longo prazo. A metodologia consiste no levantamento bibliográfico-documental, composto por materiais previamente publicados, dentre eles: livros, teses, dissertações, textos em sites da Internet e artigos em periódicos científicos indexados no Google Scholar. Constitui uma revisão de literatura, que aborda principalmente trabalhos contemporâneos, publicados nos últimos quinze anos, período em que as discussões sobre a preservação digital se acentuaram. Desta forma, os dados coletados são processados através da análise qualitativa, e posteriormente, estruturados em seções temáticas, que apontam os principais entraves teóricos.

Palavras-chave


Documentos arquivísticos digitais; Preservação digital; Políticas de preservação; Fidedignidade; Documentos digitais

Texto completo:

PDF

Referências


ARQUIVO DA WEB PORTUGUESA (AWP). Formatos adequados para preservação. Portugal: Lisboa, 2007. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2014.

BELARMINO, V. F.; ARAÚJO, W. J. Análise de vulnerabilidades computacionais em repositórios digitais. Biblios: Revista de Bibliotecología y Ciencias de la Información, Lima, n. 56, p. 1-18, abr/2014. Disponível em: . Acceso em: 02 set. 2015.

BODÊ, E. C. Preservação de acervos documentais eletrônicos. ARC: Revista Brasileira de Arqueometria, Restauração e Conservação. Olinda, v.1, n.2, 2007, p. 32-35. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2014.

BOERES, S. A. de A.; CUNHA, M. B. da. Competências básicas para os gestores de preservação digital. Ciência da Informação, Brasília, v. 41 n. 1, p.103-113, jan./abr., 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2015.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de documentos eletrônicos. Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de documentos eletrônicos. e-ARQ Brasil: Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de Documentos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2014.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de documentos eletrônicos. Diretrizes para a presunção de autenticidade de documentos arquivísticos digitais. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2014.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de documentos eletrônicos. Diretrizes para a implementação de repositórios digitais confiáveis de documentos arquivísticos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2014.

CASANOVAS, I. Gestión de documentos electrónicos. Buenos Aires: Alfagrama, 2008.

CONWAY, P. Preservação no universo digital. 2. Ed. Rio de Janeiro: Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos: Arquivo Nacional, 2001.

CORRÊA, A. M. G. Preservação digital: autenticidade e integridade de documentos em bibliotecas digitais de teses e dissertações. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) 96 p. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2014.

DE SORDI, J. O. Administração da informação: fundamentos e práticas para uma nova gestão do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2008.

DORNELES, S. L.; CORRÊA, R. F. Gestão de documentos digitais em aplicações de certificação digital. Informação Arquivística, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 3-31, jul./dez., 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2015.

FERREIRA, M. Introdução à preservação digital: conceitos, estratégias e atuais consensos, Portugal: Escola de Engenharia da Universidade do Minho, 2006. Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2014.

FLORES, D.; SANTOS, H. M. dos. Preservação de documentos arquivísticos digitais: reflexões sobre as estratégias de encapsulamento. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 167-180, maio/2015. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2015.

FONSECA, M. O. K. Arquivologia e Ciência da informação. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HEDSTROM, M. Digital preservation: a time bomb for digital libraries. Computer and the humanities, Netherlands, n. 31, p. 189-202, 1998. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2014.

HEDSTROM, M. Digital Preservation: Problems and Prospects. University of Michigan, USA, 2001. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2015.

INNARELLI, H. C. Instrumenta 2: Preservação de Documentos Digitais. Associação dos Arquivistas de São Paulo. São Paulo: ARQ-SP, 2012.

INNARELLI, H. C. Preservação de documentos digitais: confiabilidade de mídias CD-ROM e CD-R. 174p. 2006. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Engenharia Mecânica, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2014.

INNARELLI, H. C. Preservação digital e seus dez mandamentos. In: SANTOS, Vanderlei Batista (Org.). Arquivística: temas contemporâneos, classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. Distrito Federal: SENAC, 2007, p. 21-75.

INTERPARES 2 PROJECT. Diretrizes do Preservador. A preservação de documentos arquivísticos digitais: diretrizes para organizações. TEAM Brasil. Tradução: Arquivo Nacional e Câmara dos Deputados. 2002–2007a. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2014.

INTERPARES 2 PROJECT. Diretrizes do Produtor. A elaboração e a manutenção de materiais digitais: diretrizes para indivíduos. TEAM Brasil. Tradução: Arquivo Nacional e Câmara dos Deputados. 2002–2007b. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2014.

LOPES, L. C. A gestão da informação: as organizações, os arquivos e a informação aplicada. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 1997.

LOPES, L. C. A informação e os arquivos: teorias e práticas. Niterói: EDUFF, 1996.

LUNA, S. V. de. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: EDUC, 1997.

MARCONDES, C. H. Linguagem e documento: fundamentos evolutivos e culturais da Ciência da Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p 2-21, maio./ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2015.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Critérios para a preservação digital da informação científica. 354 p. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). Universidade Federal de Brasília, Departamento de Ciência da Informação, 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2014.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Preservação de documentos digitais, Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 15-27, maio/ago. 2004. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2014.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. 3. Ed. Rev. Ampl. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

ROCHA, C. L.; SILVA, M. da. Padrões para Garantir a Preservação e o Acesso aos Documentos Digitais. Acervo, Rio de Janeiro, v. 20, nº 1-2, p. 113-124, jan/dez 2007. Disponível em: . Acesso em: 07 set. 2014.

RONDINELLI, R. C. Gerenciamento arquivístico de documentos eletrônicos: uma abordagem teórica da diplomática arquivística contemporânea. 4. Ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

RONDINELLI, R. C. O documento arquivístico ante a realidade digital: uma revisão conceitual necessária. Rio de Janeiro: FGV, 2013.

ROTHENBERG, J. Avoiding technological quicksand: finding a viable technical foundation for digital preservation. Commission on Preservation and Access and Council on Library and Information Resources: a report to the Council on Library and Information Resources. EUA: Washington, DC, 1999. Disponível em: . Acesso em: 24 set. 2014.

SANTOS, H. M. dos; FLORES, D. As vulnerabilidades dos documentos digitais: Obsolescência tecnológica e ausência de políticas e práticas de preservação digital. Biblios: Revista de Bibliotecología y Ciencias de la Información, Lima, n. 59, p. 45-54, 2015a. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2015.

SANTOS, H. M. dos; FLORES, D. Preservação de documentos arquivísticos digitais: reflexões sobre as estratégias de emulação. Encontros Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., v. 20, n. 43, p. 3-19, mai./ago., 2015b. Disponível em: . Acesso em: 06 set. 2015.

SANTOS, H. M. dos; FLORES, D. Repositórios digitais confiáveis para documentos arquivísticos: ponderações sobre a preservação em longo prazo. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.20, n.2, p. 198-218, abr./jun. 2015c. Disponível em: . Acesso em 03 jul. 2015.

SANTOS, V. B. dos. Preservação de documentos arquivísticos digitais. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 41 n. 1, p.114-126, jan./abr., 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 Dez. 2014.

SARAMAGO, M. de L. Metadados para preservação digital e aplicação do modelo OAIS. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECARIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS, nº 08. 2004, Estoril. Anais eletrônicos... Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2014.

SAYÃO, L. F. Repositórios digitais confiáveis para a preservação de periódicos eletrônicos científicos. Ponto de Acesso, Salvador, V.4, n.3, p. 68-94, dez. 2010a. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2014.

SAYÃO, L. F. Uma outra face dos metadados: informações para a gestão da preservação digital. Encontros Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v. 15, n. 30, p.1-31, 2010b. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2015.

SAYÃO, L. F.; SALES, L. F. Curadoria digital: um novo patamar para preservação de dados digitais de pesquisa. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v.22, n.3, p. 179-191, set./dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2015.

SILVA, E. L. da; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. Ed. rev. atual. Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2014.

SOMASUNDARAM, G.; SHRIVASTAVA, A. Armazenamento e gerenciamento de informações: como armazenar, gerenciar e proteger informações digitais. EMC Education Services. Tradução: Acauan Pereira Fernandes. Porto Alegre: Bookman, 2011.

THOMAZ, K. de P. A preservação de documentos eletrônicos de caráter arquivístico: novos desafios, velhos problemas. 389p. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). Escola de Ciência da Informação. Universidade Federal de Minas Gerais, 2004. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2014.

THOMAZ, K. de P. Documentos eletrônicos de caráter arquivístico: fatores condicionantes da preservação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.10 n.1, p. 34-53, jan./jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 07 set. 2014.

THOMAZ, K. de P.; SANTOS, V. M. dos. Metadados para o gerenciamento eletrônico de documentos de caráter arquivístico - GED/A: estudo comparativo de modelos e formulação de uma proposta preliminar. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.4 n.4, ago./2003. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2014.

THOMAZ, K. de P.; SOARES, A. J. A preservação digital e o modelo de referência Open Archival Information System (OAIS). DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.5 n.1, fev./2004. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2014.

WEBB, C. Guidelines for the Preservation of Digital Heritage. Preparado pela Biblioteca Nacional da Austrália para a Divisão de Sociedade de Informação, UNESCO, relatório n. CI-2003/WS/3. 2003. Disponível em: . Acesso: em 17 Ago. 2014.






ISSN 1981-5344 (Online)
rodapé PCI
Revista Perspectivas em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: (31) 3409-5227 





cc
A Revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
       IET          IBCT - SEERweb of scence

Capes        Sistema de Bibliotecas UFMG           ECI- UFMG            Periodicos UFMG       Portal Scielo