Das bibliotecas convencionais às digitais: diferenças e convergências

Murilo Bastos da Cunha

Resumo


Comentam-se as diferenças e convergências entre a biblioteca convencional e a digital, apontando quatro aspectos, a saber: 1) a organização da informação, mostrando que a biblioteca digital tem um potencial informacional que dificilmente terá sido alcançado pela biblioteca convencional: ela pode entregar a informação diretamente na mesa do usuário. Discute o futuro do catálogo da biblioteca em relação aos mecanismos de busca e aos projetos de digitalização em massa; 2) o acesso à informação, mostrando que este é o momento de se iniciar uma integração das fontes e materiais eletrônicos nos acervos e serviços; 3) o aspecto econômico, mostrando que muitas bibliotecas procuram no ambiente externo aquelas fontes de informação que poderão ser úteis, digitalizam seus conteúdos e os colocam à disposição de sua comunidade; 4) as ações cooperativas, afirmando que houve um incremento das atividades de cooperação bibliotecária, não somente para reduzir os custos, mas também para facilitar a sobrevivência da biblioteca como instituição social. Conclui-se que o desafio da mudança é uma oportunidade de renovação para a biblioteca, fazendo com que ela continue a ser um espaço de prazer e aprendizado.

Palavras-chave


acesso à informação; biblioteca digital; bibliotecário; cooperação bibliotecária; digitalização; Google; internet.

Texto completo:

PDF




rodapé PCI
Revista Perspectivas em Ciência da Informação
Antonio Carlos, 6627 - Pampulha
31270- 901 - Belo Horizonte -MG
Brasil
Tel: (31) 3409-5227 





cc
A Revista Perspectivas em Ciência da Informação está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
DOAJ           IBCT - SEERCapes       Sistema de Bibliotecas UFMG           ECI- UFMG            Periodicos UFMG       Portal Scielo